Politica

Hospital de Campanha Municipal tem primeira alta de paciente de Covid-19

O Hospital de Campanha Municipal Gilberto Novaes da Prefeitura de Manaus, mantido em parceria com o Grupo Samel e o Instituto Transire, registrou na tarde desta sexta-feira, 17 de abril, a primeira alta domiciliar de um paciente diagnosticado com Covid-19. Um enfermeiro, de 39 anos de idade, foi liberado pela equipe médica após cinco dias de tratamento e ficar fora do período de transmissibilidade do novo coronavírus.

O coordenador do hospital, Ricardo Nicolau, informou que o paciente estava internado desde a abertura da unidade na última segunda-feira, 13. Durante a internação nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e semi-intensiva, o enfermeiro foi submetido aos protocolos e metodologias adotados pelo Grupo Samel, incluindo a cápsula respiratória “Vanessa”, que dispensou a intubação.

Emocionado, o paciente manifestou gratidão aos profissionais do hospital antes de sair acompanhado da esposa. “Agradeço a toda equipe. Eu tenho certeza que o meu tratamento foi eficaz por conta dos métodos que foram usados. E eu estou torcendo muito pelos demais pacientes. A equipe é fantástica. Obrigado”, disse.

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, comemorou a notícia, lembrando que o hospital de campanha montado em um Centro Integrado Municipal de Educação (Cime) estava pronto para receber professores e alunos e, agora, reforça a esperança de que muitas vidas serão salvas, a partir da parceria de quem pode ajudar.

“Fico até sem palavras. Esse lugar onde nosso hospital de campanha está instalado foi projeto para transformar a vida de pequenos cidadãos, com conhecimento, e agora, é real, está salvando vidas, recuperando doentes, e nos fazendo crer que nossa luta contra esse vírus está sendo eficaz, graças a ajuda de muitos parceiros”, afirmou Arthur.

Após registrar primeira alta em apenas cinco dias de funcionamento, o hospital segue em obras e está finalizando a montagem da segunda Unidade de Terapia Intensiva (UTI 2) e de duas unidades semi-intensivas. “Ainda temos pacientes graves e estáveis, então, o ritmo está acelerado. Esperamos trazer nas próximas horas pelo menos mais 15 pacientes para serem tratados aqui”, concluiu Ricardo Nicolau.