Cidade Politica Prefeitura de Manaus Saúde

Junho Vermelho, campanha municipal de doação de sangue, começa na próxima terça (4)

No mês de junho, o estoque de bolsas de sangue da Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Estado do Amazonas (Hemoam) costuma ficar muito abaixo do normal. Para sanar esta deficiência, Manaus entra, a partir de terça-feira (4/5), no Junho Vermelho, a campanha municipal de doação de sangue. A abertura acontece a partir das 18h de terça-feira, no Paço da Liberdade, sede do Museu da Cidade de Manaus, localizado na rua Gabriel Salgado, s/n, Centro de Manaus.

O projeto que se transformou em lei é de autoria do vereador Fred Mota (PL), e foi sancionado em dezembro de 2017 pelo prefeito de Manaus, Arthur Neto. A lei ainda prevê que sejam realizadas campanhas educativas em parceria com associações sem fins lucrativos, escolas, faculdades e demais entidades da sociedade civil que queiram participar.

De acordo com Fred Mota, a doação de sangue é um ato de extrema responsabilidade social e cidadania, uma vez que vidas são salvas direta ou indiretamente. Ele lembra ainda que a medicina e a ciência avançaram muito, mas para tratar determinadas doenças, ainda não foi encontrado um substituto para o sangue humano.

“Quando uma pessoa precisa de transfusão, só pode contar com a solidariedade de quem doa. Apesar de nos últimos anos, o número de doadores ter aumentado, o número ainda está longe do que seria necessário, de fato, para atender as necessidades da população. Esse projeto, que se tornou lei, é uma forma de incentivar a população a doar sangue, porque com uma bolsa de sangue, pelo menos quatro vidas podem ser salvas”, argumenta.

Meses críticos

Além do mês de junho, outros meses críticos são dezembro, janeiro, fevereiro e julho, por serem meses de férias. De acordo com a gerente de Captação de Sangue do Hemoam, Eleonora Araújo, desde que foi transformado em lei, o Junho Vermelho tem ajudado na renovação dos estoques de sangue do hemocentro e a demanda transfusional. Segundo ela, toda a sociedade tem se engajado na promoção da doação de sangue, aumentando as doações.

“Temos conseguido um superávit muito bom, e estamos conseguindo até enviar para Parintins o estoque de plaquetas, para auxiliar na estrutura da saúde no Festival Folclórico. Desde que a campanha foi lançada, já não temos déficit no mês de junho, e até o Exército já se comprometeu a participar da campanha”, completa.

Programação

Além da abertura oficial da campanha no Paço da Liberdade, a programação do Junho Vermelho ainda contará com uma sessão solene na Câmara Municipal de Manaus (CMM) no dia 14 de junho, às 10h. Além da homenagem ao projeto, a sessão ainda contará com a entrega de certificados nas categorias Diamante, Ouro e Prata aos doadores de sangue do Hemoam.

No mesmo dia, a unidade móvel de captação de sangue do Hemoam, o Vampirão, estará estacionada em frente ao portão principal da Câmara Municipal de Manaus. As doações acontecerão de 8h a 14h.

Quem pode doar sangue?

Podem doar sangue pessoas entre 18 e 59 anos, com peso a partir de 50 quilos. Jovens com 16 e 17 anos também podem doar, desde que estejam devidamente autorizados formalmente pelos pais ou responsáveis legais.

Não pode doar sangue a pessoa que teve hepatite depois dos 10 anos de idade, que teve comportamento sexual de risco, que usa drogas, que teve malária, recebeu transfusão sanguínea ou teve doenças sexualmente transmissíveis nos últimos 12 meses ou que teve febre nos últimos 30 dias.

Dados

Atualmente, o Hemoam tem um total de 510.649 doadores cadastrados em seu banco de dados. No entanto, de acordo com dados da instituição, apenas 9.247 doaram mais de uma vez ou doam regularmente por ano.

A unidade realiza pouco mais de 400 transfusões de sangue por mês, em média. Só em 2018, o Hemoam coletou 53.267 bolsas de sangue. Essas bolsas são fracionadas, e geraram 147.134 hemocomponentes, como hemácias, plaquetas e plasma.