Politica

Deputado Fausto Jr. defende manutenção da ZFM e cobra investimentos em novas matrizes econômicas no AM

O Amazonas precisa explorar de forma eficiente suas riquezas minerais e vegetais, permitindo que as empresas instaladas na Zona Franca de Manaus utilizem mais matéria prima local, ao invés de importar de outros Estados e países, defendeu nesta quarta-feira (27) o deputado estadual Fausto Jr, durante discurso na Assembleia Legislativa do Amazonas.

O parlamentar comparou a ZFM ao Vale do Silício, localizado na Califórnia (EUA). Segundo Fausto Jr, no Vale do Silício estão instaladas as maiores empresas de tecnologia do mundo, que há décadas usam as jazidas de silício do local para fabricação de microchips.

“A Zona Franca de Manaus está instalada em meio às maiores riquezas minerais e vegetais do planeta”, afirmou Fausto Jr. “Temos que investir em pesquisas que permitam o uso inteligente dessas riquezas, gerando oportunidades de negócios, como aconteceu no Vale do Silício”, comparou o deputado.

O parlamentar lembra que há anos o modelo ZFM enfrenta desgastes, e constantemente é ameaçado com a redução dos benefícios fiscais. “Há anos o modelo Zona Franca vem sangrando. É só compararmos os empregos gerados na década de 1990 e nos dias atuais”, lamentou Fausto.

De acordo com dados da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), nos anos 90 as empresas do Polo Industrial de Manaus geravam cerca de 120 mil empregos. Hoje, esse número não passa de 70 mil trabalhadores.

“Temos que buscar alternativas econômicas que gerem receita e empregos para o Amazonas, e a exploração de recursos como a silvinita é um exemplo dessa mudança econômica”, acrescentou.