Psicologia

CIÚME, SENTIMENTO QUE MATA

Olá, vamos falar um pouco sobre o ciúme, leiam e façam uma avaliação do seu comportamento… você se enquadra no perfil, é ciumento?
Como psicóloga clínica observei que a demanda é grande sobre queixas relacionadas ao ciúme como fator associado às dificuldades nos relacionamentos conjugais. Além de a mídia veicular todos os dias em jornais, noticiários televisivos, programas de entrevistas e afins, notícias de crimes passionais que vão desde agressões até ao assassinato, nos quais, mais uma vez, se destaca o ciúme como fator desencadeante da violência. O ciúme é um sentimento que produz angústia, raiva, desconfiança, baixa autoestima, insegurança e tensão nos parceiros, e pode atingir formas doentias, abalando a saúde mental, prejudicando a relação afetiva; é uma resposta negativa e, ao mesmo tempo, protetora, frente a uma ameaça da perda do parceiro íntimo. O ciumento patológico não causa sofrimento somente a sua vítima, mas causa também a si mesmo.

O ciumento interfere prejudicialmente nos relacionamentos como também aprisiona o indivíduo no mundo solitário em que são alimentadas todas as incertezas possíveis, onde a insegurança mina todas as forças do amor, respeito e consideração, valores tão imprescindíveis para os inter-relacionamentos em geral e para com o próprio indivíduo.
Ele não necessita de motivos reais, pois vive sob suspeita, a desconfiança e insegurança estão presentes em seu cotidiano e por fatores desencadeadores ou por quase nada, o sentimento que corrói a alma pode se manifestar. É vítima de si mesmo, de seu mundo interior, de suas ideias cruéis e maléficas, que frequentemente oprimem o seu ser. O ciumento é um carrasco do outro, quando compartilha de sua dor impondo ao seu parceiro o seu sofrimento, a sua tormenta, desejando que o outro acredite na sua verdade e viva essa verdade, como se fora sua também.
Fica um alerta ao que sofre o ciúme que lhe é imposto, pode-se dizer que de certa forma alimenta o ciúme e pode se escravizar, passando a viver em função do outro, e sustentar o perfil que este lhe impõe. É um codependente, que assume para si esse perfil e não sabe viver de outra forma, pensa que pode, mas na verdade, as circunstâncias que o enredam são mais fortes do que ele, como um jugo pesado a respeito do qual não pode se livrar tão facilmente.

Segue abaixo alguns comportamentos do ciumento:
1- Telefonam inúmeras vezes por dia e não aceitam que a pessoa não possa ou não queira atender sempre.
2- Implicam com roupas, decotes, makeup, penteados, perfumes.
3- Interrogam sobre o passado muitas vezes para pegar contradições.
4- Contratam detetives.
5- Seguem.
6- Passam horas parados na porta da vítima para ver se surpreendem visitas secretas ou saídas não informadas.
7- Checam contas telefônicas.
8- Interrogam porteiros para saber se a pessoa saiu ou recebeu visitas.
9- Perguntam a mesma coisa muitas vezes e de várias maneiras para fazer a pessoa entrar em contradição.
10- Provocam horas e horas de debates e discussões sobre a quantidade de amor não retribuído que demonstram para a vítima.
11- Fazem juras de amor sem aceitar o quanto são egoístas.
11- Andam ao lado da pessoa na rua, observando para onde ela dirige o olhar.
12- Ameaçam, agridem, chegam a matar.
Ameaçam se suicidar.
A maioria dos ciumentos patológicos são pessoas normais, sem nenhuma psicose, sem problemas de drogas nem álcool, sem Psicopatias. São simplesmente ciumentos. Mesmo assim transformam a vida do marido, mulher, namorado, namorada num inferno.
A boa notícia é que existe tratamento, mas o ciumento ao teu lado precisa querer se tratar, pois a maioria não aceita. A psicoterapia ajuda muito, procure um psicólogo para mais detalhes sobre o tratamento.
Crisângela Menezes (CRP 20/04941)
92 982322524 / 92 995338644