De mãe para mãe

Seu filho tem medo de dormir? 7 dicas para que ele durma mais rápido e melhor

Use uma luzinha

Muitas crianças têm medo do escuro – senão todas, em alguma fase da vida! Mesmo aquelas que no início não demonstram medo podem desenvolver depois, com mais idade. Por isso deixar a luz do banheiro ao lado acesa, ou usar uma luzinha de tomada que promove uma leve claridade, pode ajudar demais seu filho a se sentir mais seguro em seu próprio quarto.

Irmãos juntos

Há famílias com casas grandes, nas quais há inclusive um quarto para cada filho. Mas já pensou que pode ser extremamente benéfico juntar os dois? Passada a fase em que o menor é bebê e demanda muitos cuidados (como trocas de fralda e amamentação) na madrugada, é uma boa pensar em colocar os irmãos para dormir juntos. Assim um terá a companhia do outro e até os laços entre eles podem ficar mais fortes. O segundo quarto seria um ótimo espaço para os brinquedos, que podem sair da sala, o que você acha?

Use a saída da rotina a seu favor

Seu filho vem dormindo na sua cama nos últimos 300 dias do ano. Então quando você coloca em prática a nova postura de não deixar que ele durma lá, certamente haverá choradeira. Mas e se você fizer isso depois que ele passou uma semana na casa da avó? Ou depois de uma viagem em família? Essas pausas na rotina podem ser usadas para começar um novo ciclo de forma diferente, já pensou nisso?

De novo, e de novo, e de novo

Há crianças que, nesse processo de aprender a dormir no próprio quarto, começam a acordar 3, 4 vezes durante a noite e vão para a cama dos pais. Sim, seu filho pode ser do tipo extremamente insistente! Mas já que você decidiu colocar o plano em prática, seja firme e leve-o para o quarto dele quantas vezes forem necessárias. E considere uma vitória quando ele acordar na caminha dele!

“Não dê corda”

Essa é uma frase que minha mãe usava, quando queria dizer que não se deve dar muita atenção para alguma coisa. Quando seu filho acordar durante a noite e for para sua cama, devolva-o para o quarto dele “sem dar corda”. Não discuta, não brigue, e nem fique lá por muito tempo (diferente do início da noite, em que pode, sim, fazer parte da rotina do sono a sua presença ao lado da cama). Quanto mais atenção você der, mais tempo seu filho insistirá para não ficar lá.

Seja firme, mas não brava

A linguagem que você usa é extremamente importante para que seu filho queira dormir no quarto dele. Seja firme e mostre que o hábito da criança dormir em seu quarto é perfeitamente normal, comum, e que não há problema nisso. Seja direta e franca, pois a criança entenderá o recado. Por outro lado, tente não se irritar (e quem tem filhos sabe que é preciso respirar fundo em alguns momentos!), pois tudo o que você NÃO quer é que seu filho ache que você está brava e triste com ele.

Agora é colocar em prática, como muita paciência, como eu disse anteriormente! E não fique triste se algumas recaídas acontecerem e seu filho voltar para sua cama (quando eles ficam doentinhos, isso pode acontecer). O mais importante é que você já sabe o caminho, e que sabe que dará tudo certo no final. Até porque não tem adolescentes querendo dormir na cama dos pais, não é verdade?