Mundo Animal

Veja dicas de veterinária para cuidar melhor de cães e gatos em épocas quentes

Estamos no verão e nesta estação os cuidados com os pets devem ser redobrados. Assim como os humanos, cães e gatos também sentem mais desconforto no calor. Intensificar a hidratação, manter os ambientes frescos e tosar os pelos dos animais são algumas atitudespara manter seu bem-estar, evitando problemas, como insolação, queimaduras, entre outros.

As glândulas sudoríparas (que produzem suor), tanto nos cães quanto nos gatos, desempenham uma importante função na integridade da pele, mas não ajudam na termorregulação como para nós, humanos.  Os cães controlam a temperatura a partir da boca e sua transpiração ocorre por meio do focinho e das almofadinhas das patas. Já os gatos são mais resistentes ao calor porque, além das almofadinhas, também transpiram por outras glândulas espalhadas pelo corpo.

Os locais onde os animais comem, brincam e dormem devem estar sempre arejados e limpos para evitar mal-estar e doenças. Se eles têm o hábito de ficar no quintal, certifiquem-se de que haja locais cobertos e de sombra para se protegerem do sol.

Atenção maior para os cães das raças braquicefálicas (de focinho curto, crânio compacto e sistema respiratório superior comprimido) como os BulldogPugBoxerShih Tzu e Lhasa Apso e, no caso dos gatos, os Persas. Elas sofrem mais com as altas temperaturas pelas suas características anatômicas que não permitem troca de ar eficiente com o ambiente.

Para a médica-veterinária da Vetnil, Fernanda Cioffetti Marques, algumas precauções simples podem evitar grandes problemas, como oferecer e manter água fresca para o consumo do animal, inclusive espalhando vasilhas pela casa. Nos dias mais quentes, é recomendado colocar algumas pedras de gelo no recipiente para ajudar a manter a temperatura da água agradável.

Por Barbara e Bruna Viana